Nova Ortografia ¬¬

 Eu odeio sopa...

Eu ainda não me acostumei muito com esta nova ortografia, e vocês?

Você não sabe mais se tem uma idéia ou ideia, se vai passar no pão geléia ou geleia, se aquele teu primo é debilóide ou debiloide.

[O fato é que quando há os ditongos abertos (éi, ói) das palavras paraxítonas _aquelas que têm acento tônico na penúltima sílaba_ eles PERDEM o acento. Ou seja, menos acentos para você esquentar a cabeça.]

Falando em acento, lembra do trema sobre a lingüiça? Não?! Então, não vai fazer falta, ele foi executado sem dó nem piedade.

Os passáros não alçam mais vôo... apenas voo. Você não sente mais enjôo quando come e vai para a montanha russa, apenas enjoo. Os torcedores do curintia não vêem seu time ganhar a libertadores, eles apenas (não) veem [eu tinha que zuar hauhauauh].

Saindo um pouco dos acentos, partimos para os hífens, sinal de menos, tracinho, como queira.

Seu reco-reco, teco-teco, suas brincadeiras de pega-pega e esconde-esconde, continuam assim mesmo, com o tracinho, porque são palavras iguais ou quase iguais.

Agora, seu pé de moleque, pai de todos e sua camisa de força perdem o tracinho por culpa do elemento de ligação, nestes casos o de que fica entre as palavras.

Quando você tiver que escrever nome de espécies de plantas e animais, o tracinho continua lá. Por exemplo: sua-sogra, é um animal pestilento e rastejante, por isso tem hífen [não, não tem hífen]. Agora certo: a lebre-da-patagônia come erva-doce no sertão belo-horizontino [agora sim tem hífen].

Se em palavras compostas, uma terminar com a mesma letra que a próxima começa, como em micro/ondas, ele ganha um tracinho lindo e maravilhoso: micro-ondas ...[para que mudar isso???].

Se a próxima palavra NÃO começar com a letra igual a anterior terminou, aparecem estes monstrinhos: autoescola, semideus, superinteressante, supersônico, semirreta, ultrassom, minissaia.

Então, a regra acima tem os chamados casos especiais [em português coloquial significa que fogem da regra e é mais porcaria que você tem que decorar também].

Cuidado com estes prefixos: ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró, vice pois entre eles e as palavras seguintes tem hífen: vice-rei, ex-marido, pós-graduação, além-mar.

Aí tem os casos mais que especiais, saca só:

Quando houver os prefixos sub ou sob E a palavra seguinte começar com R, tem hífen: sub-regional

Quando houver os prefixo circum e pan E a palavra seguinte começar com M ou N usa-se o hífen: pan-americano [eu acabo de lembrar daquela música pan-americano lol], circum-navegado, circum-murado [nunca usei esta palavra na vida].

O prefixo co junta-se com a palavra seguinte. Bom, aí temos dois casos legais:

Se a palavra seguinte começar com H, fica isso: coerdado. É isso mesmo, o H some que nem mágica.

Se a palavra seguinte começar com R ou S, elas passam por mitose, ou seja, de uma viram duas [e quem disse que biologia e gramática não tem nada em comum ?!]. Assim nasce: corréu, cosseno, corresponsável.


Não custa estudar um pouco mais sobre o assunto...

Lembre-se que há excessões em muitos casos. E eu tenho uma teoria simples para isso:

Os caras esqueceram destas palavras / expressões e depois que viram já era tarde. Ou seja, você tem que decorar as excessões por que não fizeram o serviço direito.

Por isso, é bom olhar este guia aqui ou qualquer outro que achar na web!

Comentem!

Auf Wiedersehen!!

Comentários