Lavagem de dinheiro. Offshores. Mr Teixeira.

Ouvimos muito no rádio, na tv e vemos na internet falar sobre a tal lavagem de dinheiro.

Nossa mente criativa pode imaginar dinheiro sujo sendo colocado em uma máquina de lavar, depois devidamente centrifugado e se ainda houver umidade, colocados no varal para secar ao sol. Após, estando secos e limpinhos, as notas são dobradas com carinho e voltam à carteira.

Como analogia isso até serve, mas na realidade é bem mais complicado...

Lavar dinheiro é fazer com que a origem do dinheiro obtido ilicitamente (dinheiro sujo) seja alterada, fazendo parecer que veio de origem lícita (dinheiro lavado, limpo).

Este processo normalmente é dividido em 3 etapas: Colocação (placement), ocultação (layering) e integração (integration).

Colocação: o dinheiro sujo é depositado em bancos _ em quantias que não chamem a atenção, ou seja, é necessário que ele seja depositado em várias contas e em dias diferentes. Podem ser usados vários laranjas nesta etapa: a esposa, o cunhado, a sogra, o pai, o advogado, etcetera;

Ocultação: fazer o dinheiro girar em transações financeiras pelo mundo todo, compra de bens e qualquer coisa que afaste o dinheiro do rastro da origem;

Integração: é hora de fazer o dinheiro voltar para o dono, desta vez limpo. Ele pode abrir uma empresa de fachada e aplicar o dinheiro como forma de investimento vindo do exterior e receber depois como participação nos lucros, por exemplo.

O esquema abaixo ilustra o explicado acima:

Lavagem de dinheiro - HSW

O tal dinheiro sujo vem de atividades como o tráfico de drogas, de armas, de bebidas (como na época do Al Capone), extorsão, estelionato, corrupção entre empresários e políticos (como A PRIVATARIA TUCANA).


Offshores

No livro, A PRIVATARIA TUCANA do jornalista Amaury Ribeiro Jr, ele descreve que o principal método dos privatas era o uso das offshores.

As offshores são contas abertas em paraísos fiscais (lista de paraísos fiscais).

Paraísos fiscais são países ou regiões autônomas que facilitam a entrada de capitais, baixando (e muito) a tributação. Em alguns casos é permitido o sigilo total da conta, ou seja, não tem como saber quem é o dono de determinada conta bancária. Sem contar que a abertura de empresas também é facilitada.

As offshores são o chamariz perfeito para a lavagem de dinheiro dos criminosos.

O caso do Mr. Teixeira

Esquema do caso mr Teixeira

Um exemplo tem tomado conta dos jornais _ menos da globo, que não dá um piu _ que é o caso do ditador da CBF, Ricardo Teixeira.

É a despeito de uma propininha de US$ 9,5 milhões (R$ 15 milhões) que ele e João Havelange aceitaram da ISL para assinar uns contratos pela FIFA...

. Quem recebeu este dinheiro foi sua empresa de fachada no paraíso fiscal de Liechtenstein, a Sanud;

. A Sanud se tornou sócia de Teixeira na empresa RJL Participações ltda;

. A RJL tem sede no Rio, no escritório de Havelange;

. O procurador da Sanud é o irmão de Ricardo, Guilherme Teixeira.

Conforme a Sanud recebia dinheiro, 'investia' na empresa de Teixeira que por sua vez 'investia' em uma fazenda, transportadora e restaurante.

Parte do dinheiro foi justificado como integralização de capital e outra parte como empréstimo da Sanud. O engraçado é que a RJL não pagou o empréstimo e nem a Sanud chegou a cobrar o valor _ porque será ?!

[No livro A PRIVATARIA TUCANA este espisódio é citado nas páginas 47, 48 e 49].

Um pouco mais desse assunto: Conversa Afiada, Nassif e BBC.


Em um próximo post, as aventuras dos privatas do caribe o/

Auf Wiedersehen!

Comentários