Como se atrevem?

A Família de Tarsila do Amaral

A internet virou palco para discussões ideológicas de todos os tipos. Agora nem todos somos meros espectadores, como da época da TV e rádio. Temos voz e meios de difundir nossas opiniões por blogs, videos, podcasts e as redes sociais.

O conflito que mais tenho visto é acerca do ajuntamento das minorias (mulheres, homossexuais, negros, ateus) na luta por seus direitos e por uma sociedade igualitária.

Cada novo parlamentar ou 'famosidade' que diz algo considerado preconceituoso ou racista vira imediatamente alvo da fúria destas minorias. E isso é bom. A indignação não pode morrer. Não pode-se aceitar que direitos sejam violados e que a sociedade se cale diante disso.

Agora queria direcionar o foco desta prosa para um conflito em particular: a religião e sua velha mania de querer ditar os rumos da sociedade.

Ultimamente temos visto os cristãos em uma nova cruzada, agora contra um inimigo interno: os homossexuais. Querem fazer leis para tratamento do homossexual [como se fosse uma doença] e querem obrigar as bibiliotecas a terem cópias da bíblia [em um estado laico] são contra o casamento homossexual, uso de preservativo [né papa?!] entre outras coisas.

Não esperava que o cristianismo acompanhasse a evolução da sociedade, afinal, é uma crença antiga baseada num livro de quase 2000 anos. Se o livro for seguido a risca, é dever do cristão, inclusive, matar homossexuais e ter escravos.

Mas por sorte, sabemos que o livro não é seguido a risca. Conforme as sociedades evoluem, algumas partes do livro são ignoradas (as ruins) ou ganham novos significados. É o entendimento dele que se adapta a sociedade secular e não o contrário.

Me parece que uma meia dúzia deles não se deram conta disso. Esta meia dúzia luta contra a transformação da sociedade, contra a transmutação de valores [grande Nietzsche]. 

Sim, mudança gera resistência.

Mas por que diabos não se luta contra o vilão de verdade? A ignorância.

Porque estes senhores e senhoras não se unem para auxiliar no crescimento da educação, no entendimento das coisas e param com esta luta que apenas tem a intenção de dividir as pessoas em grupos e taxá-las como imorais, inferiores ou algo semelhante?

Será que realmente este deus em que elas acreditam, não ficaria feliz se as pessoas ignorassem mais alguns de suas supostas palavras e ensinamentos para promover o bem estar e a justiça social?

Porque família tem que ter um casal heterossexual que vive as turras e uma criança doente e não um casal que verdadeiramente se ama e gostam de estar juntos cuidando de seus filhos independentemente da religião ou da orientação sexual?

Que obsessão pela vida dos outros é essa?

Deixem as pessoas de bem em paz senhores e senhoras!

Parem de dividir as pessoas em religiões, cores, ideologias e classes sociais. Parem com este cinismo imbecil e com este sentimento de superioridade!

Quem pensam que são para ir contra o sentimento das pessoas?

Querem fazer um bem? Eduquem, ensinem ciência, lógica, legislação, incentivem a imaginação e o amor a vida e ao próximo, seja quem for.

Ninguém é obrigado a gostar de ninguém, mas no minímo, deveria ser obrigado a respeitar.

É uma utopia meus caros. Mas este ateu vai citar a frase mais bela que um cristão já disse na história: "I have a dream..."

Comentários