Rascunho I



_ Sofia... Sofia...
_ O que?!
Quinta feira de um ano qualquer em um lugar qualquer de um mundo humano qualquer, Sofia acorda pela sétima semana seguida do mesmo sonho, e em todos acorda com uma voz sombria que chama por seu nome.
_ Outro pesadelo Sofia?!
_ Sim mãe... outro pesadelo. Achei que já havia se acostumado a eles tanto quanto eu estou.
_ Preto e branco de novo?
_ É, meu único sonho em preto e branco. Papai vive dizendo que coisas sobrenaturais não existem, mas começo a desconfiar de sua certeza, pelo menos neste assunto.
                Sofia deita-se ajeitando o cobertor enquanto Valkiria, sua mãe, a vigia em silêncio. Após certificar-se que a filha dormiu, desliga o interruptor, encosta a porta e volta para seu quarto na ponta dos pés.
No dia seguinte Sofia vai para a escola e conta seu sonho inteiro para Alan pela sétima vez...
_ Sofia, este sonho é igual aos outros seis, você disse que era diferente.
_ Se eu dissesse que seria diferente você não pararia para ouvir!
_Óbvio que não garota! Não sei como eu não sonhei isto ainda, de tanto ouvir.
Sofia olha para o nada por alguns momentos enquanto imagina o porquê destes sonhos iguais, nas quintas feiras e em preto e branco. Alan normalmente se diverte com as ideias e viagens da amiga, mas começa a se preocupar com estes sonhos por conta de algo que ele sabe, mas por temer que a amiga queira saber mais profundamente, ele prefere não contar.
Na aula a professora passa matéria no quadro enquanto quase todos os alunos copiam, menos Sofia que fica irritada com a atitude da professora, assim como qualquer outro que faça a mesma coisa.
_ Não vai copiar Sofia?
_ Não.
_ Posso saber por quê?
_ Faz diferença para você ou só pergunta na frente de todos para tentar me envergonhar em vão?
_ Responda.
_ Porque vocês, professores, podem montar apostilas para que nós compremos, mas não, preferem fazer o tempo andar com atividade inútil, daí uma aula de uma hora vira uma aula de quase dez minutos, mais o restante, que é de exercício braçal... fazemos mais atividades sentados do que nas aulas de educação física, exceto as meninas preferidas pelo professor que são chamadas para fazer atividade extras, que... deixa para lá.
_ Se acha esperta né?
_ Minha mãe diz que sim, e eu acredito nela _ Todos riem exceto a professora.
_ Que tal na próxima semana você vir aqui no meu lugar?
_ Depende, se a sala aprender mais na minha aula do que na sua, você tem que fazer apostilas para todos e ainda levar minha mensagem para a diretora. Temos um trato, “profe” ?
_ E como fazemos para medir isso?
_ Chamada oral aleatória. Pegamos o nome de todos presentes nesta sala, colocamos num papel, cortamos e sorteamos. Aí será uma pergunta para cada revezando perguntas minhas e suas. Se empatar ninguém ganha.
A professora aceita o desafio...

Comentários