Rascunho III




O sorteio começa e os alunos se revezam respondendo as perguntas de uma e de outra conforme seus nomes são sorteados.
Cerca de meia hora e elas conseguem fazer com que todos respondam as perguntas. A correção é binária, ou se acerta ou se erra, não há quase certo, meio certo e nem meio errado. Disso sai o resultado:
Karen: 14 perguntas -> 9 acertos e 5 erros;
Sofia: 14 perguntas -> 9 acertos e 5 erros.
_ Empate!
_ Sim, mas nós temos mais duas perguntas desempate e duas pessoas que não responderam.
_ Todos responderam Sofia!
_ Eu não respondi, tampouco você.
_ Nós não estamos participando oras!
_ Eu disse que pegaria o nome de todos os presentes nesta sala e você não fez nenhuma objeção. Eu apenas separei nossos nomes para o final, caso fosse necessário, como é. Além do mais, eu não sei que pergunta você fará e vice-versa, não vejo razão para você achar injusto. Ao menos que não saiba responder...
_ Ora, ora, sua insolente e ardilosa!
_ Me chame do que quiser, mas ainda não disse se vai até o fim ou se vai arregar.
 _ Eu faço a pergunta primeiro.
_ É assim que se fala ‘profe’!
Karen faz a pergunta e Sofia tira de letra, desempatando a competição. Agora é a vez dela perguntar para a professora.
Sofia é conhecida por pregar peças nas pessoas, principalmente naquelas que ela não gosta. O caso aqui, não é que ela não goste da professora, mas que ela não suporta a adoração que lhe é dada por sua beleza em um ambiente onde a inteligência e o incentivo a cultura deveriam ser apreciados acima de qualquer coisa. No fundo também é uma dor de cotovelo por suas coleguinhas mais bonitas serem mais populares na escola do que ela, que normalmente é a mais inteligente da sala.
Sofia pega sua folha, lê a pergunta com os olhos, olha para a professora, olha para a sala _ que está com aquela cara de expectador de jogo de futebol na hora do último pênalti _ dobra a folha e faz a pergunta.
Uma pergunta simples.
Muito simples.
Karen relaxa os ombros e responde sem pensar, e acerta.
_ Empatamos professora, ninguém ganhou! _ Ela deixa sua folha de perguntas na mesa e o sinal bate. Enquanto os alunos saem, Karen olha para folha de perguntas, percebe algo estranho e pede para Sofia aguardar.
_ A pergunta que você fez não está aqui, por quê?
_ Bom, porque você ia errar.
_Sim, eu... ia, não me lembro disso. Mas você ia ganhar.
_ Ganhar o que professora?! Se eu ganho a diretora ia brigar com você e ia me suspender, as meninas da sala iriam perder o respeito por você e até alguns meninos, pelo menos aqueles que não te tratam como a Afrodite. E quanto a mim... talvez os alunos começariam a me elogiar e bajular, o que faria meu cérebro encolher. Enfim, às vezes é melhor não vencer em nome da paz do que ganhar em nome da guerra!
Karen sem dizer nada, observa Sofia deixar a sala de aula.


Pesadelos II

_ Sofia... Sofia...
_ Ora bolas, o que você quer?
_ Me siga... me siga...
_ Se você prometer parar de me acordar todas as quintas... hã?! Hoje é sexta, eu não dormi ontem. E porque eu não vejo nada?
_ Porque seus olhos estão fechados...
 

Comentários