Sem Neurônios!


Essa é a foto de uma pichação que eu vi aqui nos arredores de casa em pelo menos uns 3 muros _ na rua, percebam, o asfalto perfeito da cidade de Americana =D

A pichação agride um pouco visual dos lugares, principalmente quando elas não tem nada a dizer sobre nada. Algumas pessoas colocam declarações de amor, frases de protesto que de fato tem importância social, e gostem ou não, elas chamam nossa atenção e nos fazem pensar algo, cumprindo assim, seu objetivo.

Eu não conheço quem fez a pichação, e não tenho muito como dizer o que a pessoa quis dizer com tal afirmação.

Pode ser que não quis dizer nada de importante, foi apenas uma frase que surgiu na cabeça; pode ser algo que ela tenha lido em algum lugar; pode ser uma cena de um seriado de zumbi; pode ser uma brincadeira com algum amigo ou uma gangue com tal denominação!

Não sei o que é, mas posso especular sobre o que poderia ser.

O neurônio é uma célula do sistema nervoso condutora dos impulsos nervosos. Existem cerca de 80 bilhões no corpo humano, e são elas que dentro do sistema nervoso, coordenam a maioria das atividades.

A palavra sem, vem do latim sine e quer dizer falta, privação.

Desse modo posso concluir que um ser humano privado de neurônios não é um ser humano na verdade, é alguém que não tem capacidade de exercer sua existência, um ser não vivo, uma coisa, incapaz de se mover, de pensar, de ter emoções ou sentir dor.

Tirando um pouco a amplitude do significado, dando-lhe um sentido pejorativo, podemos dizer que um ser sem neurônios é alguém que não pensa, não usa a lógica, não raciocina, não consegue ver contextos maiores, se apequena diante da vida. É alguém que vive dentro dos limites porque acredita que eles são fixos, fixados por alguém antes de seu nascimento ou pelas estruturas que já estão burguesamente montadas, que não há nada nessa estrutura justa e bela que precisa ser questionado ou mudado. Sofre-se muito, mas no fim do arco-íris existe o pote d'ouro, e isso vale a pena.

Sem neurônios pode ser uma referência a sociedade virtual atual, que se preocupa tanto em dizer para seus amigos e seguidores que horas são _ sendo que todo mundo tem a porcaria do relógio no computador. Pessoas que se preocupam em dizer para todos que vão tomar banho, dormir ou passear com o cachorro; pessoas que vão para balada pegar todas e beber todas com uma frase de amor editada na foto; pessoas que traem todos os seus preceitos morais e éticos e colocam uma mensagem com o salmo da bíblia para demonstrar sua cristandade e hipocrisia; pessoas que compartilham e espalham todo tipo de opinião, mesmo sem ter lido e saber do que se trata _ normalmente acontece com política.

Sem neurônios pode ser esta sociedade que busca a felicidade o tempo todo, como se ela fosse a única razão da vida, que ela só possível através do consumo, da acumulação, do sucesso na carreira, do status social, das fotos na coluna social, da roupa de gala, dos peitos com silicone, da visão engessada e injusta dos padrões de beleza impostos pela propaganda da sociedade mencantil.

Sem neurônios é a luta contra o outro, a disseminação dos preconceitos, é não entender que tudo o que existe são diferenças dentro de uma mesma igualdade, ou seja, mudam as cores, mudam os sexos, mudam as crenças, mudam os locais de nascimento, mudam as classes sociais, mas o ser humano ainda é o ser humano, todos formados dos mesmos materiais e com o mesmo destino _ a morte.

Sem neurônios é jogar o lixo no chão, poluir os rios, não diminuir o consumo em nome da preservação da natureza, é ter uma casa gigante cheia de porcarias inúteis, é trocar a vida de um animal pelo brilho nos olhos de uma madame ridícula, é comprar o maior carro possível para carregar um jumento dentro dele, é matar por diversão, montar e esporar para a platéia aplaudir insandecida.

Sem neurônios é a não vida, é a não manifestação do pensamento, é a não compreensão do humano, é o não respeito a natureza...

Por fim, sem neurônios, somos quase todos nós.


Comentários