Traficantes de diplomas

Durante duas semanas no mês passado, eu e minha namorada fizemos um curso de Excel Intermediário na Faculdade Anhanguera de Sumaré, a FAC, que eu carinhosamente chamo de Faculdade do Acre, por causa da sigla do estado, e também por comparar a educação deste lugar com a educação básica do distante Acre.

Mas na realidade a educação paulista não é tão melhor assim... e, existem Estados com desempenho pior que o do Acre. Se você comparar alguns dados, verá que o estado mais rico do país tem indicadores muito ruins para sua grandeza.

Bom, durante o curso, o diretor da faculdade disse que tinha uma promoção, onde você doava um quilo de alimento e não precisava pagar a inscrição do vestibular, depois disse que quem se inscrevesse concorreria a tablets, casas na praia, iates e viagens para o Texas, sem volta.

[Ok, era só o tablet e mais algo que não lembro o que é].

Entre seus argumentos, o que me chamou a atenção foi quando ele citou "um estudo que fizeram por aí", de que quem tivesse pós-graduação, tinha um salário 55% maior.

Ele não mentiu, de acordo com esta matéria aqui: Folha - Pós-graduação aumenta chance de ter aumento de salário, diz estudo

Maravilha hein ;]

Os cursos da FAC em sua grande maioria (tipo 99%) são voltados para o mercado de trabalho, ou seja, para os senhores do capital, fato que a faculdade inclusive se vangloria, veja aqui.

No banner principal temos estas frases:

- Foco em jovens trabalhadores e rígido controle de qualidade.
- A maior instituição de ensino profissional do Brasil
- Melhor proposta de valor, preços competitivos, local convenientes e cronogramas flexíveis.

Como diria o Ciro Bottini: Vender, vender, vender!

[O Bottini fala bem no começo da palestra: "tudo na vida é venda". Sim, no capitalismo é mesmo].

Os cursos são baratos, o prédio tem uma estrutura física simples: um grande galpão com divisórias, o  espaço da biblioteca era grande, mas tinha poucas estantes com poucos livros, acho que a do Senac de Americana tem mais livros _ que é uma escola técnica, não faculdade.

A grande questão aqui, talvez nem seja julgar se o ensino da instituição é bom ou não, a grande questão é como o tal do diploma se tornou um item essencial no histórico das pessoas. O discurso pró-faculdade normalmente é esse: "vou fazer faculdade para ter um emprego melhor, para ter um bom emprego, para ter um emprego". Não é para aprender, não é para expandir horizontes, não.

Os capitalistas, nada bobos, inflam o mercado de diplomas, e um monte de gente que poderia pagar por cursos técnicos, mais rápidos e mais focados, pagam caro por cursos de 4-5 anos, com grades cheias de matérias desnecessárias e salas lotadas de clientes.

O aluno paga os 12 meses integrais, sendo que em janeiro, julho e dezembro não tem aula. E não posso esquecer do velho e sacana aumento de parcela semestral ou anual _ você nunca sabe quanto vai terminar pagando na faculdade. E também não posso deixar de lado os preços dos serviços internos, como uma prova de DP custar R$30,00 mais ou menos _ isso quando há DP, às vezes eles reprovam sem dar uma segunda chance... [aí você se pergunta se é para fazer o aluno pagar mais, ou porque a faculdade quer forçar o aluno a estudar, vai saber].


Mensalidade (12 meses de 9 de aula) +
Aumento na mensalidade (a cada 6 ou 12 meses)
Serviços internos + 
Eventuais DPs = 
Vencedor na vida \o/

Massa, né?!

Será mesmo que a faculdade é tão necessária assim?

Uma coisa é fato, enquanto houver usuários, haverão traficantes...





Comentários