Maldita sexta-feira!


Tenho uma mania elitista que às vezes me acomete sem avisar. É algo que me faz gostar do que ninguém gosta _ apenas porque ninguém gosta _ e me faz odiar aquilo que todos amam _ apenas porque todos amam.

É o mesmo sentimento do burguês que vê pobre no aeroporto _ como pode essa gentinha em um lugar tão sofisticado como um terminal para veículos aéreos?! É o mesmo sentimento daquele fã de música underground, o cara apenas gosta porque não é mainstream, se passar a sê-lo, passará a odiar _ mesmo que de mentirinha.

Enfim, passei a odiar a sexta-feira porque percebi que todos amam a sexta-feira. Mas em minha defesa, alego que não é apenas elitismo, é algo mais. São sutis (às vezes nem tanto) demonstrações das pessoas ao redor _ e pela rede _ que passaram a tornar este dia tão enfadonho e irritante.

Em plena segunda-feira sou obrigado a ouvir se falta muito para sexta-feira.

Ora, ora, faça as contas caríssima mula.

A semana “útil” tem 5 dias e cada um destes dias possuem 24 horas.

Nada mudou, então não falta muito. Falta o que sempre faltou quando se está em uma segunda-feira!

Terça-feira ouço pessoas desejando que já fosse sexta-feira.

Bom, eu não sou o anjo da morte do filme Click para ajudar as pessoas com este pequeno problema, mas existem métodos alternativos: Coma, por exemplo. Uma pancada bem dada na cabeça, ou quem sabe alguma overdose de remédio tarja preta. Acho que ninguém iria se importar com prováveis efeitos colaterais ou sequelas _ desde que fosse sexta.

Na quarta-feira, a sexta-feira parece um oásis próximo no meio do deserto: “Amanhã é sexta?” _ a pessoa profere a frase com um olhar meio lunático e com babinha no canto da boca.

Não, absolutamente não!

A pessoa cai em estado de negação quase que imediatamente:

_ Não acredito que amanhã não é sexta-feira?! Não é possível!

Da negação, passa para a raiva:

_ Merda, porque está tão longe?!

Da raiva para a barganha:

_ Hoje não podia ser sexta?

Da barganha, para a depressão:

_ A semana é muito longa, todo dia podia ser sexta-feira. O tempo passa rápido para todo mundo, parece que o relógio tá de mal comigo.

E finalmente, a aceitação:

_ Fazer o que né?! O jeito é viver enquanto a sexta não chega.

 Chega quinta-feira e as pessoas estão felizes porque sexta é o dia seguinte. O mais bizarro, é que quando a maldita sexta chega, as pessoas não estão mais tão felizes quanto estavam na quinta.

A ansiedade de acabar a sexta-feira é tão grande, que a sexta passa a ser o dia mais maldito da semana. E aí surgem as reclamações como: “Mais fácil chegar segunda do que acabar o expediente de hoje!”.

Todos ficam um saco, todos estão cansados e cansam você.

Portanto, passei a não gostar mais das sextas-feiras.

Passarei a gostar no dia em que as pessoas começarem a gostar de cada dia de suas vidas, e pararem de querer acelerar o pouco tempo que temos neste planeta. Ou é isso que esta vida se tornou? O sacrifício de quase todo nosso tempo por algumas migalhas de diversão?

Comentários

Postar um comentário