O Antiempresário


Aqui vai uma pequena história, completamente fictícia, não baseada em fatos reais, sobre um antiempresário, ou seja, um empresário que faz tudo o que não deve ser feito por um empresário. Espero que aprendam com esta história para nunca cometer estes erros na vida.

Gerson é um jovem empresário do ramo têxtil, tem uns 40 anos e não faz muito tempo descobriu que tinha que assumir os negócios da empresa, que pertence aos pais, dona Raimunda e seu Mario Alberto. É o típico herdeiro classe média: nunca trabalhou, só estudou e curtiu a vida. Reza a lenda que ele é formado em química e gestão empresarial, mas mal sabe quem é Avogadro, o que é um anel de benzeno, ou mesmo planejamento _  na realidade mal sabe escrever, mas isso comento mais a frente.

Os pais construíram a empresa do zero, com muito sangue, suor, e redes de amizades e são os mais bem sucedidos da família.

Seu Mario Alberto é o típico cristão conservador, que tem saudades da ditadura e dizem que participou da grotesca marcha da família com deus pela liberdade, que precedeu o golpe militar de 1964. Costuma aparecer nas colunas sociais com a esposa, mas é tudo aparência, pois seu coração pertence a jovem _ 30 anos mais jovem _ Jasmine. Secretamente ele sonha em casar com ela, mas teme que isso nunca vá acontecer, afinal ele teria que se separar da esposa e perderia muito dinheiro no processo. Sabem como é, na altura dos 70 anos é preciso de muito dinheiro para viver.

Dona Raimunda deve ter sido o Tio Patinhas em uma outra vida. Ela adora, ama, idolatra o dinheiro. Contar dinheiro quase lhe dá orgasmos. Contar moedas então... múltiplos orgasmos! Mas o pesadelo de quem trabalha com ela é quando falta uma moeda. Ela grita aos quatro cantos, anda para lá e para cá, tresloucada, com o "zóio" virando, quase babando. Uma funcionária jura que um dia quando dona Raimunda encontrou uma moeda de $10 centavos no canto da parede, ela a chamou de "meu precioso" _ true story. Dona Raimunda sofre muito com o romance do marido _ claro, ela sabe e não faz segredo_ e infelizmente desenvolveu uma capacidade maldita: não consegue ver ninguém feliz. Qualquer manifestação de felicidade a maltrata por dentro, e ela sente a necessidade de acabar com aquilo. Pobres funcionários, se forem pegos sorrindo ou conversando entre si, logo são acusados de serem desocupados e vagabundos. 

Dessa fusão dos infernos não podia ter saído coisa muito boa.

Gerson sempre foi mimado, os pais faziam tudo o que ele queria e davam o que pedia, logo, é um ser que não dá valor para nada, nem para ninguém _ incluindo os pais. Se tornou conservador como o pai, não sabe de política, vomita o que lê nas manchetes da grande mídia _ ele só lê as manchetes, a matéria nunca, "não precisa" _ odeia governos de esquerda ou de centro-esquerda, "comunistas", trata mal os funcionários, "incompetentes", sonega impostos e seu cartão preferido é o do BNDES _ dinheiro público, do FAT.

Como profissional, é super centralizador, não confia em ninguém e não deixa ninguém tomar decisões sem lhe consultar antes. Toda sexta-feira ele convoca uma reunião com os supervisores da empresa. Esta reunião é seu palco, é onde ele gosta de dar seu showzinho, gosta de mostrar o quanto ele é superior a todo mundo, o quanto ele tem e os outros não tem, o quanto ele sabe e os outros não. Para saber se ele está falando tolices, é só reparar, seus lábios estarão se mexendo. Mas e daí?! Quem irá contrariá-lo? Ele é o dono daquele mundinho!

Numa dessas reuniões, um funcionário, corajoso, decidiu confrontá-lo. Gerson teria virado o rosto tal como o Boneco Assassino, seu rosto avermelhou-se completamente, e ele gritou como a Rainha de Copas: "Corte-lhe a cabeça!!!" True story, again. O funcionário foi demitido, na frente de todos os outros, de forma vexatória, humilhante.

Humilhar funcionários, aliás, é seu passatempo. Ele se delicia quando tem a oportunidade _ mesmo quando não tem, ele cria _ de rebaixar qualquer pessoa, por qualquer coisa. É parcialmente educado: sabe dar "bom dia, boa tarde, boa noite" mas não sabe pedir "por favor" nem dizer "obrigado". Costuma elogiar e proteger os funcionários na frente de pessoas de fora da empresa, mas é apenas uma questão de preservar a imagem da empresa.

Voltando um pouco na família, todos os três não sabem separar o profissional do pessoal. Então quem paga as contas da empresa, no financeiro, vira e mexe tem que realizar serviços de secretária particular: pagar água, luz, ipva, iptu, agendar consultas médicas, levar marmita para a empregada e ligar na NET para pedir desconto, reagendar visita técnica e etc. Isso não faz parte do treinamento do funcionário, mas funciona assim: quem fizer uma vez, ganha uma "obrigação adquirida".

Para serem minimamente respeitados pelos donos, os funcionários devem puxar-lhes o saco sempre que possível, devem se submeter a todas as suas demandas, mesmo que não estiverem relacionadas com o cargo para o qual foram contratadas. Então não é incomum um estagiário do TI ser visto cortando a grama, enrolando fios ou varrendo o chão da fábrica. Assim como não é incomum ver pessoas passando seu horário de almoço tendo que fazer "uma coisinha rapidinha para mim" _ e não tem nada a ver com sexo, mas mesmo assim, é foda.

Gerson já ganhou prêmios pelos altos investimentos que fez, mas não se enganem, nada é planejado. Ele é supersticioso e costuma tomar decisões baseadas nos seus sonhos. Sério. Um dia ele sonhou em uma máquina de jato de ar, super rápida, tecnologia de ponta. Não se fez de rogado e comprou a tal máquina. Mas tinha um problema, pior, três problemas. Não tinha espaço no salão; não havia funcionários qualificados para tocar a máquina; nenhuma empresa nacional dava suporte para a máquina. Resultado: ela ficou parada por quase 1 ano, e quando ele pensou em se desfazer dela, descobriu que seu valor de mercado caiu 25% nesse período, ou seja, teve que ampliar o salão para conseguir alocar a máquina no fluxo produtivo.

Mas nem tudo são espinhos. Seus e-mails. Ah, seus e-mails, são pura diversão. Como disse no início, ele tem duas faculdades, e sabe-se lá como, porque o sujeito não sabe escrever. Vírgulas? Acentos? Bullshit! Ok, ele sabe escrever, mas os textículos que produz não tem coerência nem coesão. É como se viessem três assuntos na sua cabeça, e você escrevesse todos eles de forma abreviada e sem sequência... cara, é difícil explicar.  

Quero falar c vc ja ... não quero o verde ... chama a Ana tb pq ontem nao vi ela ... pago aquele imposto joão quer saber

O que em bom português seria algo como:

Bom dia fulano,

Preciso falar com você e com a Ana, poderiam vir na minha sala o quanto antes? Sobre o material que me perguntou, pode ser o da cor verde. Estou falando com o João, preciso saber se aquele imposto xxxx foi pago.

Atenciosamente.

Dias depois desse e-mail, fulano foi demitido porque comprou o material da cor laranja, porque no e-mail está escrito "não quero o verde". Incompetente, não sabe nem interpretar um e-mail...

Gerson às vezes tem uns rompantes estranhos e diz que ama e valoriza seus funcionários, mas a verdade é outra. Os salários também são baixos, aumentos não existem nem plano de carreira. Entrou como auxiliar, vai morrer auxiliar. O chefe saiu? Buscam outro fora da empresa, ou acumulam funções dele nas pessoas que ficaram, sem pagar um mísero tostão a mais. E quando um funcionário reclama querer ter um cargo mais alto, normalmente ouve a resposta "você não está preparado". Nem depois de 3 anos na função.

A consequência dessa locura toda, é que a média de funcionários que saem é de 1 a cada 18 dias. Em um ano, são 20 funcionários. Calculando o turnover (saídas / total de funcionários * 100) de um ano, temos algo em torno de 15% _ a empresa possui 140 funcionários. Indo mais além, podemos dizer que a cada 6 anos a empresa troca 100% de seus funcionários. Nem no MC Donald's, que paga um salário de fome, é assim.

Claro que esta média é algo nebuloso, porque ela não mostra que existem departamentos que tem uma rotatividade maior que outros, assim como não mostra que tem meses que saem várias pessoas de uma vez, e meses que não saem ninguém e também não mostra quantos foram os demitidos ou os que pediram a conta e os motivos. Se bem que, diante desse cenário, não é preciso ser nenhum gênio para saber o porquê de uma rotatividade tão alta.

Bom amiguinhos, espero que tenham aprendido a como não se comportar quando tiverem a própria empresa. Aprendam:
  • salário não é tudo;
  • os funcionários precisam de um bom ambiente de trabalho, precisam estar motivados e gostar do que fazem, para que façam bem feito e queiram estar na sua empresa;
  • compensa muito mais gastar em incentivos, treinamentos do que em rescisões contratuais ou processos trabalhistas; 
  • a cegueira é o maior erro de qualquer profissional, pior ainda quando este profissional está frente de tantos outros, os resultados podem ser os piores possíveis.

Thats' all folks \o/

Comentários