Mergulhai-vos!



Informações, informações, informações e mais informações. É assim que vivemos hoje em dia, mergulhados no mar de informações. O browser tem cada vez mais engolido a tv, o rádio, o jornal e a revista de papel e virou nossa grande fonte de informação, em diferentes dispositivos e em diferentes formatos como blogs, redes sociais, videos, sites de notícias.

Basta ter uma conexão a internet ou pegar emprestada de um vizinho, que a janela para o mundo está aberta.

É tanta coisa para ler, assistir ou ouvir que fica difícil, quase impossível, acompanhar. E do pouco que dá para acompanhar, nem tudo dá tempo de analisar, esmiuçar, ir na raiz da coisa.

Ás vezes eu leio sobre um assunto e quero fazer um post para este blog, comentando sobre ele, mas se eu demoro um ou dois dias para fazê-lo, o assunto já é velho e batido, já se repetiu a exaustão na rede e ninguém mais quer saber de ler sobre ele. Ou seja, se quem escreve quer postar no timing correto, pode não ter o tempo adequado para fazer uma reflexão mais aprofundada ou pode não colher e filtrar dados adequados para o texto. Claramente temos um conflito qualidade x velocidade.

Mas quando falamos de qualidade num texto, temos um outro problema. O texto deixado na internet é publico, ou seja, todos tem acesso a seu conteúdo. Se você mentir e alguém acreditar, aquela pessoa pode reproduzir esta mentira, e depois não se sabe se ou quando esta pessoa vai se dar conta da verdade, e até lá, quantas vezes ela já não propagou aquela mentira?
 
Um caso concreto é o de Fabiane que foi linchada até a morte no Guarujá em maio de 2014. Um boato se espalhou pelo facebook de que havia uma mulher que fazia rituais de magia negra com crianças, Fabiane foi confundida com a mulher do retrato falado e foi morta pelas pessoas da comunidade. Uma má informação que acabou com a vida de uma pessoa e tornou tantas outras criminosas.

Não só por conta deste caso mais grave, mas por tantas outras coisas é que precisamos ter atenção naquilo que lemos. Sei que é difícil, a tentação de só passar os olhos em uma manchete e passar para a próxima é grande, ainda mais que a timeline fica avisando que existem novas publicações.

Para mostrar que o mundo é mais complicado do que possa supor nossa vã filosofia, ler o texto ainda não é suficiente... e se o autor estiver mentindo? E se ele estiver sendo muito tendencioso? E se ele estiver omitindo dados? E se...? E se...? E agora José?

Dentro da nossa cabecinha tem um treco chamado cérebro, usá-lo é a porta e a chave. Com este alto volume de informações, se não quisermos sermos massa de manobra, se quisermos ter o mínimo de emancipação intelectual, temos que ser mais do que surfistas virtuais que apenas beijam a superfície, temos que ser mergulhadores!

"Ah mas demora, dá trabalho, é difícil". Claro que é. Nada vem ou vai sem um preço.

Ou nós tomamos uma postura firme diante deste mundo líquido, ou ele nos afoga.

Portanto lhes peço: mergulhai-vos!


Comentários