Chapecoense


Como amante do futebol e humanista não posso deixar de registrar alguma reflexão sobre a tragédia ocorrida com o time da Chapecoense, e com os demais envolvidos como pessoas da imprensa, da diretoria do clube, convidados e tripulantes.

Acompanhei pela internet todos os acontecimentos desde que fiquei sabendo do ocorrido. Hoje finalmente foi o velório, que acompanhei também pela internet e não tive como não me emocionar (sim, chorei) com os discursos, e com as homenagens feitas por todos.

Eu não sou familiar, nem amigo, nem torcedor da equipe, e não conheço nenhum dos atletas ou jornalistas ou quem mais estivesse no avião. Não faço ideia do que estas pessoas estão passando, porque até hoje nunca tive uma experiência semelhante.

Outras tragédias nunca me causaram o que eu senti, e fico pensando se é por causa do futebol. Porque como o futebol é o esporte mais popular do país (e do mundo?), o caso teve uma repercussão que nenhum outro caso teve _ lembrando que já tivemos outras quedas de aviões com muitas mortes no país.

Vários momentos emocionantes foram filmados, como a grande dona Ilaídes, mãe do goleiro Danilo, uma das vítimas, que mesmo diante de toda sua dor, foi capaz de fazer desabar um jornalista com a seguinte pergunta:

- Posso fazer uma pergunta? Como vocês, da imprensa, estão se sentindo tendo perdido tantos amigos queridos lá? Pode me responder? Posso te dar um abraço em nome da imprensa?

As demonstrações de carinho dos colombianos, e especialmente do torcedores do Atlético Nacional de Medellín, que lotaram o estádio onde o jogo iria acontecer e cantaram o nome da Chapecoense. Outras manifestações também ocorreram por parte de vários clubes do mundo, como o Torino da Itália, que também já tivera em sua história um acidente de avião, em 1949, onde morreram 31 pessoas, dos quais, 18 jogadores.

Clubes nacionais querendo mudar regulamentos e emprestar jogadores para ajudar a equipe da Chapecoense a se reerguer _ se são só promessas vazias, ou marquetagem, é o tempo quem vai dizer. A Conmebol, após sugestão do Atlético Nacional, dará o título, e mais importante, a premiação de campeão da Copa Sul Americana para a equipe. Talvez com esse dinheiro seja possível ajudar as famílias, onde muitas certamente dependem do salário dos atletas.

O Amanhã...


A parte triste disse tudo, é que amanhã há de ser outro dia, e que as pessoas voltarão para suas rotinas, e que assim como outras tragédias que são esquecidas (Mariana, Boate Kiss em Santa Maria e etc), temo que esta será apenas mais uma. Claro, as famílias, amigos e grande parte dos cidadãos de Chapecó, nunca mais serão os mesmos, são eles que ficarão com as dores para sempre.

O carinho demonstrado pelos colombianos me deixou assustado, nunca imaginei que tal carinho para com a desgraça alheia fosse possível. Mas daí penso, que talvez, nós brasileiros, em sua grande parte, tenhamos nos tornado um povo seco, desconfiado e "umbiguista". Isso se percebe na falta de solidariedade para com os professores e alunos que lutam por uma educação melhor, e que são tratados como vândalos por grande parte da população. Também se percebe pela forma que as pessoas tem se mostrado cada vez mais odientas para com seus diferentes em ideologia, e como tratam pessoas de nacionalidades que consideram "inferiores".

Não deveria mencionar isso, mas não pude deixar de ver alguns comentários de sites (como o G1), e ver gente insensível, escrota, babaca, imbecil, fazendo troça da tragédia com comentários do tipo "foi tarde" por alguma irracionalidade que nem cabe aqui.

Eu entendo que muitas pessoas não tem ligação nenhuma com a história e não ligam muito para o que aconteceu, mas o minimo, O MINIMO, que se espera é respeito pelos demais que sentem.

Queria poder acreditar que essa tragédia fosse capaz de tocar as pessoas, e fazê-las refletir como seria melhor viver num país onde as pessoas se esforçassem mais em serem felizes juntas, privilegiando o bem-comum, se ajudando, compreendendo o lado do outro, buscando o diálogo.

Mas, é como diz aquela música "Sonho meu, sonho meu...".

#forçaChape

G1 - Mãe de Danilo e repórter do SporTV choram abraçados durante entrevista


IG - Tragédia da Chapecoense: veja outros acidentes envolvendo times de futebol


ESPN - Presidente da Chapecoense confirma título e premiação da Sul-Americana


G1 - Lista de Mortos na Tragédia na Colômbia

Comentários