Ateu.


Fico feliz de ver na internet que os ateus tem saído do armário cada vez mais. Vejo a LIHS (Bule Voador) e a ATEA crescendo cada vez mais, os canais de ateus com muitas visualizações e comentários de ateus _ e de muitos religiosos revoltadinhos.

Em alguns destes videos, seus autores explicam o porquê de serem ateus. É estranho você ter de explicar as razões de se crer ou não em deuses, mas ela fica clara quando lembramos que vivemos num país de maioria cristã, e que a religião, há centenas de anos, vem incrustada nas sociedades.

E que há, um grande preconceito contra os ateus (1).

[Falando em preconceito, eu posso perder algumas chances de emprego com este post.]

Eu gostaria de fazer um video, mas me sinto extremamente desconfortável com filmagens, prefiro escrever.

Vim de família católica, alguns tem mais fé e outros só quando estão em necessidade. Fui batizado na igreja católica sem meu consentimento. Lembrando: eu era um bebê e meus pais decidiram impor a fé deles em mim porque é tradição da igreja e porque eles achavam que isso era melhor para mim.

Cresci, aprendi as palavras mágicas, digo, orações para falar com deus, e as fazia antes de dormir. Agradecia pela minha saúde e raramente pedia alguma coisa _ se pedia eram coisas de criança, tal como brinquedos, boas notas na escola e etcetera.

Fiz catequese, uma verdadeira chatice e perda de tempo _ mesmo na época eu pensava isso _ poxa, eu era criança, queria jogar futebol e não ficar em igreja em pleno sábado a tarde!

Quando completei 16 anos, eu, por vontade própria, comecei a fazer a crisma. Me reunia naquele ambiente jovial, nos domingos de manhã, onde liamos passagens da bíblia e tentávamos fazer um paralelo com as questões do dia a dia.

Eu comecei a perceber, vez e outra, que as passagens que líamos não tinham ligações com a realidade ou com os atos dos próprios crentes no livro (crente -> aquele que crê). Da intenção ao ato existia um abismo.

Tipo aquela passagem que diz que é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus. E aí, eu via o papa, o Vaticano, os pastores abastados, com dinheiro proveniente de doações, e ao mesmo tempo, pessoas morrendo de fome (2).

Não espero que eles resolvam todos os problemas do mundo, mas é no mínimo contraditório você condenar um estilo de vida, e ao mesmo tempo, promovê-lo.

Após ter recebido o sacramento do crisma, eu passei cada vez mais a observar o comportamento das pessoas a minha volta. A mesma hipocrisia: santidade na missa e pessoas miseráveis no dia a dia.

Somando-se ao fato que eu sofri um pouco de bullyng na escola, aquilo foi me deixando doente e com raiva.

Um belo dia (novembro de 2006) quando fui fazer prova da Unicamp, uma amiga me mostrou o livro O Anticristo, dele, do mestre, Nietzsche (3) Por algum motivo, eu abri a última página e a li, era onde ele fala sobre as leis contra o cristianismo (4).

Aquela passagem me encantou, nunca havia lido em lugar nenhum até aquela altura da minha vida, alguém que fosse capaz de criticar a religião com tamanho vigor e falar daquele jeito de deus. Nem preciso dizer que é quando ele diz no livro: gott ist tot - deus está morto (5).

Não me tornei ateu até então, mas li o livro e o coloquei a prova algumas das questões ali levantadas, as que eu entendi pelo menos, entender a linguagem de Nietzsche não é tão simples _ ainda mais para um jovem de 17 anos em seu primeiro contato com um filósofo.

Parei de rezar, pedir ou agradecer, aquilo perdeu o sentido para mim. Tempos depois, me interessei por história, e nela comecei a ver as barbáries das religiões e todo o jogo político a que elas se submeteram e se submetem. Tipo as relações da igreja católica e de Hitler e de como Constantino aceitou a até então, seita cristã, como uma religião do Império Romano (6).



Darwin e um pouco de estudo de biologia vieram no caminho.

Pouco a pouco, sem me dar conta, eu me vi sem razões biológicas, históricas e filosóficas para crer na existência de um ser supremo.

Não era ateu ainda, mas um agnóstico, talvez por receio de não poder voltar mais atrás se eu estivesse errado _ a aposta de Pascal não era uma resposta inválida ainda para mim, eu precisava saber de mais coisas (tipo lógica).

E não demorou muito. Após ler Sam Harris (Carta a Uma Nação Cristã), Richard Dawkins (deus, um Delírio), Christopher Hitchens (deus não é grande), assistir The god who wasn't there (7) e alguns videos de James Randi, bem, eu pude responder outras questões internas e aí sim, finalmente, me livrar da crença num ser superior e controlador _ da religião eu já tinha me livrado.

Quais questões eram estas? Levantarei algumas aleatoriamente.

Bom, quando não temos mais razões para acreditar em algo, nós simplesmente deixamos aquilo de lado e olhamos para o novo cenário e seguimos em frente.

A moral e a ética nada tem a ver com religião. Ninguém precisa acreditar em um deus para fazer coisas boas e ser uma pessoa boa, isto vem do próprio ser humano. E se a pessoa acha que precisa, então ela não é uma pessoa boa de verdade, pois só é boa porque no fim do arco-íris foi-lhe prometido um pote de ouro.

Pior, a religião pode se tornar um bom motivo para que pessoas boas (e más) cometam crimes: cruzadas, fatwas, genocídios, caça as bruxas, inquisição, guerras na Irlanda, queda das torres gêmeas _ embora tem gente que acredita em conspiração do próprio governo estadunidense.

As religiões são criadas por homens, pessoas do sexo masculino normalmente. Elas são produto da sociedade em que elas vivem. Algumas delas só são grandes porque se incrustaram em impérios e passaram adiante _ é uma das explicações de uma religião de judeus ter ido tão longe, graças ao maior império do mundo, Roma.

Política e poder, não é igreja católica ?

[Queria evitar falar dos cristãos porque eles tem se sentido discriminados. Cristofobia, é do que eles chamam. Eles tiveram privilégios durante anos de história, e agora, quando perdem, um por um, se sentem ofendidinhos e falam uma asneira dessas. Oh dó =]

Existem várias religiões e deuses, e muitos deles com traços humanos. Será que é porque os homens os criaram na sua ânsia de buscar resposta para sua existência?

E qual destas religiões está certa? Qual delas responde a questão da origem e destino de forma correta? Será que existe alguma forma de elas se confrontarem sem uma jihad?

Atlas das crenças
Alguns religiosos são honestos e respondem: é questão de fé. Fé, nada mais é crença sem evidência. O muçulmano tem fé em Alá, o hindu em Shiva e o cristão em Javé, mesmo sabendo que ele não pode provar que está certo, só acreditar que está certo.

Eu tenho uma dificuldade inata de acreditar em coisas que não tenham evidências, me sinto como se quisessem me fazer de tolo. Eu sei que a ciência não tem todas as respostas, mas ela é honesta, ela elabora estudos e tenta de todas as formas comprovar as teorias que cria até que elas sejam ou não, aceitas. E se anos se passarem e algo que era considerado correto, passar a ser considerado incorreto _ passando por mais testes _ a concepção muda e a ciência, go ahead!

E graças a ciência, a sociedade tem se transformado tanto. A religião tenta impedir este avanço, mas por sorte, no fim das contas, não tem conseguido.

Não dá para engolir um ser humano que pega um livro escrito por outros seres humanos, que dizem ser "iluminados" e tenta fazer que os demais creiam que ele diz a verdade. Ainda mais quando tentam convencer as pessoas que uma cobra falou com uma mulher num jardim sagrado ou que o profeta foi para o céu em seu cavalo. É o mesmo que dizer que o papai noel é carregado num trenó por renas voadoras, entra pela chaminé e deixa presentes no natal!

Aha, desculpe pela provocação, mas ouço tantas bobagens dos religiosos sobre o que eles consideram um ateu, que eu passei a ironizá-los a cada oportunidade.
Eu creio neste conjunto de idéias que apresentei, pensei muito a respeito durante estes anos e me sinto feliz por isso.

Sinceramente, assim que você se dá conta que esta vida é a única e que não há um depois, é triste, é como se te tirassem o chão. Este tipo de pensamento me causou uma certa depressão no início. Só que depois, você passa ver as coisas de um jeito melhor, percebe que a vida tem mais valor e para de negar esta vida por causa de uma (im)provável próxima.

Nem sonhem em dizer que não há limites. Sim, há limites. A justiça dos homens, as leis da natureza, e seus valores. A liberdade não existe de fato, nossa autonomia é completamente dependende de outros fatores, e volto a dizer: valores são humanos e subjetivos, não tem nada a ver com religião.

O ateísmo não me tornou um monstro de duas cabeças que gospe fogo em cruzes, nem um assassino, ladrão ou baderneiro. Nem em um infeliz, sou tão feliz quanto eu sempre fui, e melhor ainda, não preciso de nenhuma entidade me dizer o que eu tenho que fazer da minha vida. Tenho minha própria consciência e as pessoas que eu amo do lado _ mesmo que eu não seja o melhor dos ouvintes hehe. 

E claro, cometo meus erros de raciocínio e de comportamento comigo e com as pessoas ao meu redor, acredito que me encontro na raça dos seres humanos, e sou tal como eles.

Apenas creio em um deus a menos que vocês, cristãos (muçulmanos, judeus).

E é só.

Open your minds.

1 - Preconceitos contra ateus nos EUA
2 - Bill Maher fala com um pa$tor
3 - Lei contra o cristianismo
4 - O Anticristo
5 - Morte de deus
6 - A ascenção e queda do Império Romano: Constantino,
7 - The god who wasn't there

Mais:
Se ateus agissem como os religiosos
Se o paraíso realmente existisse
Além do ateu e do ateísmo
Através destes olhos ateus
Histórias engraçadas da bíblia
O Vírus da fé
A Grande Questão
James Randi - Farsas Psíquicas
Carl Sagan - Astrologia é uma farsa
George Carlin - Religião é bobagem
Bill Maher - New Rules for christians

Comentários

  1. Extremamente coerente esse seu texto Ricardo. Na verdade em linhas gerais é essa a caminhada da maioria de nós ateus.E quando essa convicção se instala é irreversível. Passamos a vivenciar a dádiva de uma vida real. Quando aconteceu comigo, já com quase 60 anos, lamentei não ter acontecido antes. Parabéns por suas lúcidas palavras. Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Ricardo, li suas observações e posições acima, e com todo respeito, achei interessante você dizer que "Não dá para engolir um ser humano que pega um livro escrito por outros seres humanos, que dizem ser "iluminados" e tenta fazer que os demais creiam que ele diz a verdade," mas acredito, pelas suas afirmações, que têm "a origem das espécies" como a "revelação" sobre de onde viemos e para onde vamos.

    Interessante que um livro que é um conjunto de diversos livros, de diversos autores que relataram FATOS corridos em milhares de anos e que concordam entre si em suas afirmações, tem nenhum valor diante de um livro, de um autor, que relatou OBSERVAÇÕES feitas por ele mesmo em apenas alguns anos, e que contém o termos como "suponha-se" ou "supondo-se"!!!!


    Só um conselho, se me permitir, quando acordar pela manhã, respire bem fundo, abra os olhos e olhe em sua volta, não para o seu quarto ou para suas coisas, mas para onde vc realmente está! O sol, as árvores, a terra, depois olhe pra você em um espelho, observe detalhadamente cada parte de seu corpo e PENSE bastante.

    Vc realmente acredita que tudo isto vei de uma pequena bactéria ou de uma explosão, ou DO NADA??? Se a sua resposta for SIM, ENTÃO A SUA CRENÇA É REALMENTE SEM FUNDAMENTO!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. I

      Tentar pegar o que eu disse sobre livros religiosos, e tentar fazer uma média com livros de ciência não é certo.

      O livro do Darwin, por exemplo, é feito baseado em pesquisas que ele fez por anos e anos. Não há nada de revelação na obra dele, há sim, trabalho intelectual. Ninguém o chamou no topo de uma montanha e entregou o livro compactado em tábuas. Ele viajou, observou, anotou, juntou dados e chegou a conclusões _ assim como cientistas fazem todo o tempo.

      A bíblia por sua vez, contem mitologias fantásticas de um povo antigo, baseado daquilo que eles viam do mundo misturado com mitologias anteriores de coisas que as pessoas já acreditavam. Mitologias de criação, de destruição dos povos, de fim do mundo e talz. Prática igual a de outras mitologias como a islâmica, grega, nórdica a hindu, a do camdomblé e muitas outras.

      Agora, partindo do pressuposto que você seja cristão, se você acredita no que a bíblia diz e que ela tenha alguma relação com a realidade, ou pior, que ela seja mesmo real, aí já é uma questão de fé sua, só posso respeitar.

      II

      Então tá, vamos deixar tudo aquilo em acreditamos suspenso por alguns momentos, como se tivessemos acabado de surgir por aqui.

      Vemos as árvores, o sol, as nuvens, os morros, os lagos e tudo mais. E aí bate aquelas perguntas fundamentais: como tudo isso é possível? de onde veio tudo isso?

      Existem a partir daí, duas posturas que você pode tomar: a primeira é aquela em que você atribui tudo a um ser supremo. Você olha para tudo isso e pensa: "nossa, deve ter sido um ser inteligente com poderes fantásticos, não há como tudo isso ter surgido do nada e ainda, ser tão belamente harmonioso" (ignorando o fato de que a natureza é uma eterna cadeia alimentar, bixo matando bixo, fora também as perturbações climáticas).

      A outra postura nos remonta ao grego Tales de Mileto (624 AC), onde através da observação da natureza e do raciocínio, ele passou a perceber que a natureza tinha leis naturais e que as coisas não eram regidas pela vontade dos deuses.

      A segunda postura, então, é a científica. Graças a essa postura você toma remédio ao invés de fazer uma oração, graças a estas pessoas sabemos muito de muita coisa hoje em dia. Claro, existe muita coisa que não sabemos.

      Sobre estas coisas que não sabemos, você tem duas posturas: ou fica aí achando que tudo foi feito por um ser superior e se conforta com isso, ou, duvida de tudo e vai atrás de respostas baseadas na razão, no estudo, na observação e experimentação da natureza.

      III

      Eu acredito na ciência, mesmo ela errando de vez em quando. E se você parar para pensar, quase todas as pessoas acreditam na ciência. A ciência funciona, ela faz sentido, está presente no nosso dia a dia, ela não responde a tudo, mas busca a verdade o tempo todo.

      A questão pode ser que nas questões fundamentais, naquelas que vão de encontro com o cerne da sua a fé, você passa a não acreditar. Isso justifica você acreditar que a Terra é redonda e gira ao redor do sol e saber que a chuva vai cair por causa de seu ciclo natural, e não por causa do deus da chuva, e desprezar questões como o big bang e a evolução das espécies.

      Excluir
    2. Cara, pelo que li, acredito que sua "crença" é mais forte do que você parece ver.

      Mas tudo bem, respeito sua posição e lhe digo que aproveite a sua vida da melhor forma que puder, porque, segundo sua "crença", no final tudo se acaba!

      E eu continuo por aqui, vivendo a minha vida da melhor forma que me parecer agradar a Deus, pois acredito que no final dela, ainda estarei no começo da eternidade!

      Um abraço e tudo de bom pra você!

      Excluir
  3. Sobre a razão: ´´Quem pôs a sabedoria no íntimo, ou quem à mente deu o entendimento ?``Sobre a criação: ´´Pela fé entendemos que os mundos pela Palavra de Deus foram criados, de maneira que aquilo que se vê, não foi feito do que é aparente.`` Sobre o criador: ´´Deus é espírito, e importa aos que o adorem o adorem em espírito e em verdade.`` Sobre a Bíblia: ´´A profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.`` Sobre a formação do homem: ´´De um só fez toda a geração dos homens, para habitar sobre a Terra, determinando os tempos... Para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando o pudessem achar; ainda que não está longe de cada um de nós. Porque nele vivemos, nos movemos e existimos...`` Sobre o juízo: ´´Aquele cujo nome não foi achado escrito no Livro da Vida, foi lançado no Lago de Fogo.`` Deus ama teístas e ateístas,ele diz que prefere o frio ou o quente, jamais o morno. Se você é ateu, estás na condição de ´´frio`` que precisa entender a Verdade de Deus. Quem sabe um dia isso acontece!

    ResponderExcluir

Postar um comentário